UNIVERSIDADE DE CUIABÁ GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA REAÇÕES QUÍMICAS EM SOLUÇÃO AQUOSA Tamires de F. Ferreira

Please download to get full document.

View again

All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
 5
 
  UNIVERSIDADE DE CUIABÁ GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA REAÇÕES QUÍMICAS EM SOLUÇÃO AQUOSA Tamires de F. Ferreira
Share
Transcript
    UNIVERSIDADE DE CUIABÁ GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA REAÇÕES QUÍMICAS EM SOLUÇÃO AQUOSA Tamires de F. Ferreira Cuiabá - MT 2016/1    REAÇÕES QUÍMICAS Trabalho apresentado à disciplina de Química Geral, do curso de Farmácia da Universidade de Cuiabá, Campus UNIC  –   Beira Rio apresentado como requisito parcial de avaliação na disciplina. Profª: Esp. Luciano Mafioletti. Cuiabá  –   MT 2016/1  OBJETIVOS Classificar o tipo de reação química realizada, observar os processos químicos e  justificar o acontecimento de cada reação. METODOLOGIA Para o desenvolvimento deste trabalho e aula, os alunos executaram os  procedimentos relacionados abaixo, individualmente, sob a orientação do professor responsável. PROCEDIMENTOS 1.   Colocar uma pequena quantidade de Cloreto de Amônio sólido em um tubo de ensaio limpo e seco. Na extremidade aberta do tubo colocar uma tira de papel indicador umedecido com água e aquecer o tubo diretamente em chama forte do  bico de Bunsen, com o auxílio de uma pinça de madeira. Observar e anotar os resultados. Comentário: Nesta reação são liberados dois gases, a amônia (NH3) e o cloreto de hidrogênio (HCl). Ambos os gases liberados reagem com a água, no caso da amônia forma-se o hidróxido de amônio (NH4OH) e no caso do cloreto de hidrogênio será formado o ácido clorídrico (HCl). Deste modo ao entrarem em contato com a fita de  papel indicador serão formados uma base e um ácido que reagirão entre si e voltarão a formar o cloreto de amônio, srcinalmente contido como sólido no frasco. Como o cloreto de amônio é um sal derivado de uma base fraca e de um ácido forte o indicador deverá tender para a coloração que indica que o meio está ácido. Reação: NH4Cl(s)   NH3(g) + HCl(g) 2.   Em um tubo de ensaio colocar um pedaço de cobre metálico e adicionar 1,0 mL de solução de nitrato de prata. Deixar em repouso na estante e, no final da  prática, observar e anotar os resultados obtidos. Comentário: O pedaço de cobre escureceu e filamentos cinza-prateados então formaram-se, impregnados às paredes do cobre. Após agitar o tubo de ensaio, esses  filamentos se soltam do pedaço de cobre, tornando mais clara sua coloração  prateada. O líquido tendeu a ficar um azul bem claro. O cobre por estar à frente da  prata na fila de reatividade de metais, tende a reduzi-la, substituindo-a ou deslocando-a para fora do sal, formando assim o nitrato cúprico e a prata metálica. Os filamentos cinza-prateados são exatamente a prata metálica formada nesta reação de deslocamento. A coloração azul da água deve-se a partículas de cobre em suspensão. Reação: 2AgNO3 + Cu   Cu(NO3)2 + Ag 3.   Em um tubo de ensaio colocar 1,0 mL de solução de nitrato de chumbo II e 1,0 mL de solução de iodeto de potássio, agitando e observando o ocorrido. Adicionar águia deionizada ao tubo e aquecer cuidadosamente, em chama bem  branda, até dissolver completamente o precipitado. Deixar esfriar na estante e observar. Anotar todos os resultados obtidos. Comentário: Após a preparação dos tubos de ensaio com as soluções de iodeto de  potássio (KI) e nitrato de chumbo (Pb(NO3)2), mistura-se o conteúdo dos dois. Ocorre uma reação, quase instantânea. Os cátions de potássio (K+) unem-se aos anions nitrato (NO3-) formando o nitrato de potássio (KNO3), enquanto os cátions de chumbo (Pb2+) unem-se aos ânions iodeto I para formar o precipitado amarelo, Iodeto de chumbo, PbI2. A solução formada possui coloração amarelada. Como ocorrem reações químicas, o experimento caracteriza um Fenômeno químico. Ao entrar em contato com a chama, o precipitado começa a dissolver completamente, to rnando a cor do produto transparente “água” . Reação: 2KI (aq) + Pb(NO3)2 (aq)   2KNO3 (aq) + PbI2 (aq) 4.   Em um tubo de ensaio colocar 1,0 mL de solução de cloreto férrico e 1,0 mL de solução de ferrocianeto de potássio, agitando e observando o ocorrido. Comentário: ao se adicionar uma gota de ferrocianeto de potássio ao cloreto de ferro III (ambos tinham coloração verde claro e amarelo, respectivamente) a solução adquire cor azul, sem formação de precipitados. A reação é de deslocamento. Forma-  se solução, pois sais cujo cátion pertence à família dos alcalinos nunca formam  precipitados, mas uma solução, pois são solúveis em água. Reação: FeCl3 + K4[Fe(CN)6]   Fe4[Fe(CN)6]3 5.   Segurar um pequeno pedaço de magnésio metálico (Mg) com uma pinça metálica. Introduzir a ponta do metal na chama (zona oxidante) do bico de Bunsen. Observar com cuidado a combustão do magnésio e o aspecto da substância que resta na pinça (a luz produzida é muito viva e pode prejudicar a vista). Comentário:   O corpo de prova de magnésio foi levado à chama com auxílio da pinça. Rapidamente e violentamente o magnésio entrou em combustão, produzindo brilho intenso e deixando uma cinza residual. O magnésio apresentou-se como sendo um metal extremamente reativo Reação: 2Mg + O2   2MgO 6.   Em dois tubos de ensaio colocar um pedaço de ferro metálico (prego) e adicionar, respectivamente, 1,0 mL de solução de sulfato cúprico e 1,0 mL de solução de ácido clorídrico. Aquecer em banho-maria e, no final da prática, observar e anotar os resultados obtidos. Comentário: I) Quando colocamos o ferro em contato com o cobre iônico (formado  pela dissociação do sulfato de cobre), a tendência natural do sistema é haver a  passagem do cobre iônico para a forma metálica e do ferro metálico é passar para a forma iônica (devido às diferenças nos valores de oxi-redução dos dois metais, a reação é espontânea). Portanto, há uma deposição de cobre sobre o prego (dando-lhe uma cor amarelada), mas sem liberação de gás. II)   A reação ocorre formando um sal. Acontece uma reação de simples troca. O agente redutor é o que sofre oxidação e causa redução, que nesse caso é o Fe. E o agente oxidante é o HCl, que sofre redução e provoca a oxidação. Reação I: Cu2 + Fe°   Cu° + Fe2   Reação II: Fe(aq) + 2HCl(aq) -> FeCl2(aq) + H2(g)
Related Search
Similar documents
View more
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks