A Indústria No Maranhão e o Seu Desenvolvimento

Please download to get full document.

View again

All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
 0
 
  industria textil do maranhão no século XIX e XX
Share
Transcript
  A INDÚSTRIA NO MARANHÃO E O SEU DESENVOLVIMENTO Patrícia dos Reis Leal/ UEMA Carlos H. Nunes Nascimento/ UEMA Rodrigo da Conceição Pereira/ UEMA Kely Cristina Cruz Castro/ UEMA Viviane da Silva Almeida /UEMA  Anísio Teixeira / UEMA Orientador (a) Regina Célia/ Profe  ssora Ms - Assistente/ UEMA   RESUMO Este estudo aborda o desenvolvimento da indústria no Estado do Maranhão, sua caracterização em diferentes períodos do crescimento econômico, assim como a importância deste setor na dinamização socioeconômico do Estado. O estudo aqui descrito é relacionado em três fases: Desenvolvimento Industrial Maranhense, na qual   contempla os primeiros vestígios da industrialização maranhense, a implantação e consolidação dos Grandes Projetos (Projeto Grande Carajás e ALUMAR) após a decadência do parque têxtil a partir de 1970, fatores decisivos para o crescimento econômico do Estado. A segunda fase ressalta a Formação Econômica Recente do Estado, baseado nas principais indústrias que movimentam a crescente e moderna revitalização econômica baseada principalmente nos setores de exportação do minero de ferro e alumínio, alem agricultura da soja. A terceira e ultima fase retrata sobre Plano Estratégico de Desenvolvimento Industrial no Maranhão, criado em parceria com o Governo do Estado junto à Confederação Nacional das Indústrias, a CNI, e à direção nacional do SENAI, com objetivos de diversificar da indústria, com dinamismo econômico e melhoria da qualidade de vida da população maranhense. As idéias derivadas deste estudo trazem à tona a discussão: “Mesmo com tantos investimentos advindos tanto do setor publico e privado, investidos em setores econômicos do Estado: Indústria, agricultura e comercio, por que o Maranhão continua sendo o Estado mais pobre do Brasil? ” PALAVRAS CHAVES: Economia, Desenvolvimento Industrial Maranhense, Grandes Projetos, Plano Estratégico de Desenvolvimento.  INTRODUÇÃO O crescimento econômico maranhense provocado pelo desenvolvimento da atividade industrial é evidenciado como uma atividade que evoluiu diferentemente nos termos da historia brasileira, contudo, o Maranhão sempre esteve ligado a economias estrangeiras: com Portugal no período da colonização, com a Europa e Estados Unidos, como fornecedor de matéria prima, tais como, açúcar, algodão, babaçu etc. Atualmente, disponibilizando de boa infra-estrutura rodo - ferroviária e portuária, empresas multinacionais transitam por aqui, investindo em grandes projetos. Os governos Federais e Estaduais planejam e negociam investimentos futuros. O porto do ITAQUI tornou-se porta de saída para o agronegócio dos cerrados maranhenses e do Planalto Central, e de vastas áreas das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste com exportação para os mercados da Europa, Estados Unidos e Ásia. O Consórcio de Alumínio do Maranhão e a Companhia Vale que movimentam a maior cadeia  produtiva do alumínio e do minério de ferro do mundo, sempre abraçaram o Plano Estratégico de Desenvolvimento Industrial do Maranhão, com expansão e industrialização do alumínio, criação de siderurgias e traçando novos investimentos e gerando mais empregos diretos e indiretos para o povo maranhense.  Nesse contexto, pretendi-se traçar uma caracterização sobre a Indústria maranhense a partir de alguns aspectos produtivos e mercadológicos, bem como o levantamento de potencialidades e desafios a serem superados. Dessa Forma, buscou-se analisar a consolidação de Grandes Empreendimentos no setor industrial que  proporcionaram maior fluidez, especialmente no que dizia respeito às atividades econômicas, assim como, das repercussões sociais dos empreendimentos junto aos maranhenses.  METODOLOGIA As análises foram feitas a partir de pesquisa bibliográfica e documental, onde se procurou abordar as principais características da Indústria e seu desenvolvimento no Estado do Maranhão como fator dinamizador da economia neste Estado. As observações descritas foram abordadas a partir de pesquisas em livros, monografias, artigos e em sites relacionados ao tema, além de documentos de instituições que contribuíram para a consecução dos objetivos do presente trabalho. DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL MARANHENSE O proce sso de desenvolvimento industrial no Maranhão é bastante recente data da década de 1970, quando a partir dos grandes Projetos, ali se instalaram empresas, inclusive de grande porte, que passam a ocupar, sobretudo a área do Distrito Industrial, na capital do Estado, São Luis. Antes da década de 1970, o Maranhão possuía um incipiente parque industrial, onde se destacavam empresas principalmente do ramo têxtil. A partir da decadência do parque industrial têxtil, a indústria de gêneros alimentícios e químicos ganhou destaque, porém entra em decadência no final dos anos 70, quando ocorre um conjunto de transformação na indústria maranhense, provocados  pela implantação de projetos minero - metalúrgica, além do agronegócio da soja. Segundo BOTELHO (2008), “ a ju stificativa da implantação desses grandes  projetos seria a geração de empregos em larga escala, utilizando tecnologia de ponta e geração de receita tributaria para o Es tado”. O mesmo ressalta ainda que, a instalação de empreendimentos desta natureza nos países periféricos, corresponde às exigências do capitalismo globalizado e de sua  busca por mercados com a existência de áreas produtoras de matéria prima, mão-de-obra barata, proximidade com mercados da Ásia, EUA e Europa, incentivos fiscais, áreas com disponibilidade de água e energia elétrica, fatores somados à posição estratégica e capacidade portuária. O Maranhão atende perfeitamente a todas essas exigências.   No ramo  minero- metalúrgico, os grandes destaques foram à instalação do Projeto Grande Carajás e ALUMAR, cujas empresas passaram a explorar riquezas como minério de ferro, níquel, manganês, alumina e alumínio, promovendo um aumento significativo nas taxas de crescimento industrial no Estado. De acordo com os dados fornecidos pela extinta Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE), na década de 1980, a indústria maranhense cresceu em media 14,3% ao ano, enquanto a taxa nacional foi de apenas 1,6% ao ano. Já em 1999, a indústria representava 23,1% do PIB maranhense. (Tabela 01) TABELA 01 PARTICIPAÇÃO PERCENTUAL DOS SETORES ECONÔMICOS NA FORMAÇÃO DO PIBcf  –   MARANHÃO E NORDESTE  –   1970/1999 SETORES  ECONÔMICOS ANOS AGROPECUÁRIA INDÚSTRIA SERVIÇOS TOTAL MA NE MA NE MA NE 100,0 1970 40,0 21,0 19,7 27,4 40,3 51,6 100,0 1980 36,2 17,3 14,3 29,3 49,5 53,4 100,0 1990 15,1 12,2 21,2 29,3 63,7 58,6 100,0 1999 11,7 9,7 23,1 26,0 65,2 64,3 100,0 FONTE: SUDENE/DPS/PSE/Grupo de Contas Regionais A FORMAÇÃO ECONÔMICA RECENTE Atualmente, atividade industrial maranhense que representa 28,2% do PIB do Estado, apóia-se na indústria de metalurgia básica, que participam com 49,7% do valor da transformação industrial do Estado, produtos alimentares e bebidas, com 18,2%,  produtos químicos, com 9,9% e outras 16, 27%. A Infra - estrutura e modernização tecnológica são apontadas como temas recorrentes ao crescimento da indústria na região segundo levantamento realizado em 2006 pelo IBGE.
Related Search
Similar documents
View more
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks