Institui a Política de Mudança do Clima no Município de São Paulo Apresentação Suécia

Please download to get full document.

View again

All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
 7
 
  1º Seminário de Tecnologias Sustentáveis no Transporte. Área reservada para foto(s) e/ou ilustração. Institui a Política de Mudança do Clima no Município de São Paulo Apresentação Suécia. Alternativas Energéticas Para o Transporte. São Paulo Transporte S.A.
Share
Transcript
1º Seminário de Tecnologias Sustentáveis no TransporteÁrea reservada para foto(s) e/ou ilustração.Institui a Política de Mudança do Clima no Município de São PauloApresentação Suécia Alternativas Energéticas Para o TransporteSão Paulo Transporte S.A. Empresa responsável pela gestão do transporte público na Cidade de São Paulo
  • Principais Diretrizes:
  • Planejar e fiscalizar o serviço de transporte;
  • Zelar pela boa qualidade do serviço observados, dentre outros elementos, a atualização tecnológica e a acessibilidade;
  • Fomento ao desenvolvimento de novas tecnologias e realização de estudos das possíveis alternativas energéticas ao diesel.
  • 3São Paulo Transporte S.A.Dados Operacionais
  • 6 milhões de usuários/dia, que geram 9,8 milhões de registros;
  • 1.300 linhas;
  • 15 mil veículos.
  • 192 mil viagens em dias úteis;
  • 3 milhões de quilômetros em dias úteis;
  • 10 corredores;
  • 28 terminais;
  • São Paulo Transporte S.A.São Paulo Transporte S.A.Composiçãoda frota do sistemaMiniônibus 4.955325Midiônibus5.084ÔnibusBásicoÔnibusPadron3.197Ônibus Padron - Trólebus190Ônibus Articulado968Ônibus Biarticulado211Total : 14.930 Ônibus Idade Média: 4,7 anos6São Paulo Transporte S.A.Lei Municipal nº 14.933Promulgada em 05 de junho de 2009Institui a Política de Mudança do Clima no Município de São Paulo
  • Principais Diretrizes da Lei Relacionadas ao Transporte Público:
  • Principais Diretrizes
  • Seção III – Artigo 3º
  • III - promoção do uso de energias renováveis e substituição gradual dos combustíveis fósseis por outros com menor potencial de emissão de gases de efeito estufa, excetuada a energia nuclear;
  • VI - priorização da circulação do transporte coletivo sobre transporte individual na ordenação do sistema viário;
  • 8Principais Diretrizes
  • Título IV – Artigo 6º - dos modais
  • a) ampliação da oferta de transporte público e estímulo ao uso de meios de transporte com menor potencial poluidor e emissor de gases de efeito estufa, com ênfase na rede ferroviária, metroviária, do trólebus, e outros meios de transporte utilizadores de combustíveis renováveis; d) implantar corredores segregados e faixas exclusivas de ônibus coletivos e trólebus e, na impossibilidade desta implantação por falta de espaço, medidas operacionais que priorizem a circulação dos ônibus, nos horários de pico, nos corredores do viário estrutural; 9Principais Diretrizes
  • Título VIII – Disposições Finais - Artigo 50
  • Os programas, contratos e autorizações municipais de transportes públicos devem considerar redução progressiva do uso de combustíveis fósseis, ficando adotada a meta progressiva de redução de, pelo menos, 10% (dez por cento) a cada ano, a partir de 2009 e a utilização, em 2018, de combustível renovável não-fóssil por todos os ônibus do sistema de transporte público do Município. Consumo de CombustívelConsumo total de diesel da frota de ônibus no Município de São Paulo : 386.609.880 milhões de litros/anoConsiderando:Km percorrida por veículo/dia = 200 kmDias úteis no mês = 25Frota: 15.000 ônibusFonte: Área de remuneração e empresas do sistemaAlternativas EnergéticasAlternativas energéticas de fontes não fósseis
  • Biodiesel
  • Etanol
  • Energia Elétrica
  • Diesel proveniente da cana de açúcar
  • Sistema DualFlex (diesel/etanol)
  • Trólebus
  • Híbrido
  • Monotrilho
  • Biodiesel
  • Alternativa disponível no mercado;
  • Maior custo em relação ao diesel convencional;
  • Autorização da ANP e das montadoras para aumento da porcentagem da adição ao diesel, até a substituição plena;
  • Praticidade na logística de distribuição;
  • Verificar junto aos distribuidores a disponibilidade do produto;
  • Análise ambiental da utilização do biodiesel 100%;
  • Atualmente 1.200 ônibus movidos com a adição de 20% de biodiesel;
  • Etanol
  • Tecnologia importada e único fabricante;
  • Maior consumo de combustível;
  • Garantia de fornecimento do combustível com preço estável;
  • A tecnologia para veículos pesados necessita de avaliação em médio prazo quanto à confiabilidade, durabilidade, desempenho e apuração dos custos operacionais;
  • Início de operação de 50 ônibus;
  • Diesel da Cana de Açúcar
  • Projeto desenvolvido nos Estados Unidos - processo de extração do combustível é muito parecido com o da produção do etanol combustível;
  • O diesel de cana surge como mais uma alternativa entre os
  • combustíveis provenientes de energias renováveis;
  • Maior custo em relação ao diesel convencional;
  • Estudos para aumento da capacidade produtiva.
  • Testes em São Paulo utilizando o diesel de cana na proporção de 10% em 03 ônibus demonstraram boa performance.
  • Realização de estudos para utilizar a adição de 10% do diesel da cana em frotas cativas de ônibus no Município de São Paulo.
  • Trólebus
  • Tecnologia consagrada e em utilização;
  • Custo de implantação da infra-estrutura;
  • Flexibilidade operacional – Ultrapassagens e rotas alternativas;
  • Maior custo operacional:
  • A partir de 2.011:Transferência da infraestrutura elétrica para o Poder Público;
  • Incorporação dos custos de operação e manutenção da infraestrutura elétrica;
  • Processo licitatório visando a contratação de empresa para a operação, manutenção e modernização da infraestrutura elétrica;
  • Renovação de 140 trólebus.
  • Veículo Elétrico Híbrido
  • Formalização de convênio de cooperação técnica entre SPTrans, Empresas Operadoras e Fundação Clinton para realização de testes com ônibus híbridos de diferentes configurações;
  • Pesquisas recentes demonstram maior custo de aquisição e operação do veículo;
  • Junho/2011 - Início dos testes em São Paulo com um ônibus híbrido Volvo.
  • Monotrilho
  • Investimento em infra-estrutura civil e elétrica;
  • Realização de estudos de projeto funcional pela área de planejamento da SPTrans;
  • Possibilidade da redução da frota movida a diesel.
  • Identificação da FrotaA partir de 2011 toda a frota do Município de São Paulo que utilizar combustíveis limpos e renováveis receberá a logomarca “ECOFROTA” para que seja diferenciada da frota que utiliza o diesel convencional.Avaliação das AlternativasPara avaliação das alternativas energéticas, foi elaborada uma planilha de decisão que contém os elementos de análise, cada qual com sua relevância e peso específico.Os elementos referem-se aos aspectos de ordem ambiental, financeiro e técnico - operacional. Cada um destes foi subdividido considerando seus principais quesitos.Avaliação das Alternativas
  • Aspecto Ambiental:
  • Combustível de fonte renovável;
  • Nível de ruído;
  • Níveis de emissões PPF - (NOx, CO, HC, MP);
  • Aspecto Financeiro:
  • Custo operacional;
  • Investimento na compra do veículo;
  • Investimento em infra-estrutura de garagem;
  • Investimento em infra-estrutura de abastecimento;
  • Tempo de depreciação;
  • Avaliação das Alternativas
  • Aspecto técnico operacional:
  • Capacidade de transporte;
  • Confiabilidade técnica;
  • Suavidade de aceleração;
  • Disponibilidade de mercado;
  • Disponibilidade de combustível no mercado;
  • Facilidade de fornecimento/distribuição de combustível;
  • Complexidade para implantação da infraestrutura de abastecimento;
  • Flexibilidade Operacional;
  • Avaliação das Alternativas
  • De acordo com sua relevância, cada um dos blocos avaliados recebeu pesos distintos, o que resultou em várias planilhas de análise.
  • Demonstração dos cálculos:
  • Cálculo da pontuação: Pode variar de 1 a 5, conforme critério demonstrado na planilha anexa.
  • Quesito ambiental:
  • Soma da pontuação obtida/pontuação máxima x peso (50%) = x
  • Avaliação das Alternativas
  • Quesito financeiro:
  • Soma da pontuação obtida/pontuação máxima x peso (30%) = y
  • Quesito técnico e operacional:
  • Soma da pontuação obtida/pontuação máxima x peso (20%) = z
  • Pontuação Total: Soma dos resultados x, y e z.
  • Avaliação das AlternativasFonte: EnvironMentality ContatosDiretoria de Serviços de Transporte - DSSuperintendência de Serviços Veiculares – SSVGerência de Desenvolvimento Tecnológico – GDTengenharia@sptrans.com.brpedro.rama@sptrans.com.br
    Related Search
    Similar documents
    View more
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks
    SAVE OUR EARTH

    We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

    More details...

    Sign Now!

    We are very appreciated for your Prompt Action!

    x