História da Música Popular Brasileira

Please download to get full document.

View again

All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Share
Transcript
    1 Portal de Educação Musical do Colégio Pedro II – www.portaledumusicalcp2.mus.br História   da   Música   Popular   Brasileira   Nossa   música   é   riquíssima   em   estilos,   gêneros   e   movimentos.   A   partir   do   século   XX   a   produção   musical   se   diversificou,   acompanhando   as   inúmeras   novidades   técnicas   que   foram   surgindo:   desde   a   gravação   sonora   que   permitiu   o   registro   das   músicas,   até   o   rádio,   a   televisão   e   a   internet.   Vamos   fazer   um   breve   passeio   por   essa   história!   Gêneros   e   Movimentos   musicais   nacionais:   O   Teatro   de   Revista   e   a   música   Foi   um   gênero   de   teatro   musicado   muito   em   voga   no   final   do   século   XIX.   Foi   esse   gênero   de   produção   que   empregou   inúmeros   músicos,   cantores,   compositores   e   maestros   na   época.   A   compositora   Chiquinha   Gonzaga   foi   uma   das   mais   importantes   compositoras   para   esse   gênero   de   espetáculo.   A   característica   principal   do   Teatro   de   Revista   era   contar   uma   história   de   forma   satírica   e   cômica,   geralmente   baseada   em   acontecimentos   ocorridos   ao   longo   do   ano,   no   campo   da   política   e   da   cultura.   Os   textos   eram   sempre   entremeados   de   números   musicais,   onde   alguns   gêneros   como   o   maxixe   se   destacaram.   Chiquinha   Gonzaga   escreveu   inúmeros   maxixes   para   peças   desse   tipo.   Dentre   os   seus   maxixes   mais   famosos   podemos   citar   “Forrobodó”,   “O   Corta   Jaca”   e   “Maxixe   da   Zeferina”.   Arthur   Azevedo   e   Chiquinha   Gonzaga   Peças,   autores   e   músicas   famosas   do   Teatro   de   Revista:   Também   um   dos   mais   importantes   autores   do   gênero   foi   Arthur   Azevedo .   São   dele,   por   exemplo,   as   revistas   O   Bilontra   e   Capital    Federal  ,   musicada   por   Chiquinha   Gonzaga.   O   Maxixe:   foi   um   gênero   que   surgiu   no   século   XIX   e   acabou   muito   apreciado   pelos   espectadores   do   teatro   musicado.   Nasceu   da   mistura   da   “polca”,   o   gênero   de   dança   e   música   europeu   que   arrebatou   a    juventude   carioca   no   tempo   do   Império,   com   o   lundu,      2 Portal de Educação Musical do Colégio Pedro II – www.portaledumusicalcp2.mus.br gênero   de   dança   e   música   cuja   srcem   vem   dos   batuques   dos   negros   escravos.   O   maxixe   era   dança   de   pares   e   seus   passos   foram   considerados   muito   “indecentes”   pela   elite   social.   É   que   o   maxixe   era   dançado   em   ambientes   frequentados   por   pessoas   humildes,   geralmente   trabalhadores,   que   criavam   passos   ousados,   rebolados   e   principalmente   enroscando   as   pernas   e   apertando   o   corpo   do   parceiro.   Anúncio   da   Revista   “O   Bilontra”   de   Arhur   Azevedo   A   História   do   Samba   Origem   da   palavra   “SAMBA”   O   nome   samba   é,   provavelmente,   srcinário   da   palavra   angolana   semba ,   um   ritmo   religioso,   que   significa   umbigada,   devido   à   forma   como   era   dançado.   O   primeiro      3 Portal de Educação Musical do Colégio Pedro II – www.portaledumusicalcp2.mus.br registro   da   palavra   "samba"   aparece   na   Revista   O   Carapuceiro ,   de   Pernambuco,   em   3   de   fevereiro   de   1838,   quando   Frei   Miguel   do   Sacramento   Lopes   Gama   escreve   contra   o   que   chamou   de   "samba   d'almocreve".   O   Samba   é   uma   das   principais   formas   de   música   com   raízes   africanas   criadas   no   Brasil.   O   samba   carioca   possivelmente   recebeu   muita   influência   de   ritmos   da   Bahia,   com   a   transferência   de   grande   quantidade   de   escravos   para   as   plantações   de   café   no   Estado   do   Rio,   onde   ganhou   novos   contornos,   instrumentos   e   histórico   próprio,   de   forma   tal   que   o   samba   moderno,   como   gênero   musical,   surgiu   no   início   do   século   20   na   cidade   do   Rio   de   Janeiro,   mais   especificamente   na   Praça   Onze,   reduto   que   ficou   conhecido   como   a   Pequena   África,   por   conter   uma   enorme   população   de   afro ‐ brasileiros.   A   “Deixa   Falar”   Fundada   em   1928   no   Estácio,   a   Deixa   Falar    é   considerada   a   primeira   Escola   de   Samba.   Os   “bambas”   do   Estácio   criaram   um   novo   tipo   de   carnaval   para   tentar   acabar   com   a   violência   nos   blocos   e   cordões,   reduto   dos   foliões   afro ‐ descendentes.   “Os   sambistas   do   Estácio   estavam   cansados   de   apanhar   da   polícia”,   conta   Maria   Thereza,   biógrafa   de   Ismael   Silva,   o   mais   emblemático   desses   “bambas”.   O   início   das   Escolas   As   primeiras   agremiações   não   tinham   enredo   ou   samba   definidos.   Os   mestres   de   canto   puxavam   os   versos   e   os   foliões   repetiam,   mostrando   ao   público   duas   ou   três   músicas   compostas   durante   o   ano.   A   grande   novidade   da   Deixa   Falar    foi   incluir   instrumentos   de   percussão   nos   desfiles.   Isso   porque   até   meados   dos   anos   20,   os   sambas   eram   acompanhados   apenas   por   violões,   pandeiros,   violinos   e   até   castanholas.   Ismael   Silva   Em   entrevista   ao    jornal   Correio   da   Manhã   nos   anos   60,   Ismael   Silva   explicou   a   srcem   do   nome   Deixa   Falar:   “Naquela   época,   existia   uma   grande   rivalidade   entre   os   blocos   e   todos   se   achavam   superiores.   O   pessoal   do   Estácio   dizia:   "Deixa   falar".   Eles   achavam   que   os   sambistas   de   lá   eram   melhores   e   não   admitiam   que   ninguém   pudesse   diminuí  ‐ los”.      4 Portal de Educação Musical do Colégio Pedro II – www.portaledumusicalcp2.mus.br Sobre   a   srcem   do   termo   Escola   de   Samba,   Ismael   esclareceu:   “Perto   da   nossa   sede   ficava   a   Escola   Normal   para   mulheres.   Lá,   as   professoras   ensinavam   a   cozinhar   e   na   Deixa   Falar   a   gente   ensinava   o   samba.   Ficou   então   escola   de   samba”.   As   primeiras   músicas   de   carnaval   Antigamente   não   era   costume   os   compositores   criarem   músicas   especialmente   para   o   carnaval.   A   primeira   compositora   a   fazer   uma   música   especialmente   para   o   carnaval   foi   Chiquinha   Gonzaga,   que   criou   a   marchinha   “Ó   Abre   Alas”   em   homenagem   ao   rancho   Rosa   de   Ouro.   As   Primeiras   gravações   (o   fonógrafo)   O   primeiro   fonógrafo,   inventado   por   Edison,   chegou   ao   Brasil   ainda   no   século   XIX.   O   pioneiro   em   gravar   os   sons   (discursos,   falas   e,   posteriormente,   músicas)   no   Brasil   foi   Fred   Figner,   um   imigrante   Tcheco,   de   srcem    judaica   que   fundou   a   primeira   gravadora   brasileira,   a   Casa   Edison.   Em   1902,   A   Casa   Edison   iniciou   a   gravação   musical   no   país   de   inúmeras   obras   entre   maxixes,   polcas,   lundus   e   choros.   Thomas   Edison   e   sua   genial   invenção   O   primeiro   samba   gravado:   “Pelo   Telefone”O   primeiro   samba   carnavalesco   foi   gravado   em   1917   pela   Casa   Edison   (veja   o   selo   do   disco   abaixo).   Pelo   Telefone   foi   registrado   por   Donga   e   Mauro   de   Almeida,   sambistas   freqüentadores   da   casa   da   Tia   Ciata   onde   o   samba   foi   composto,   fato   que   deu   srcem   a   uma   grande   briga   pelos   direitos   autorais,    já   que   outros   sambistas   da   época   reivindicaram   sua   autoria,   como   é   o   caso   do   compositor   Sinhô.   O   selo   do   disco   de   1917      5 Portal de Educação Musical do Colégio Pedro II – www.portaledumusicalcp2.mus.br A   Era   do   Rádio   Entre   1940   e   1950,   a   música   popular   brasileira   viveu   um   momento   de   especial   riqueza,   tendo   como   principal   meio   de   difusão   o   Rádio.   Inúmeros   artistas   (compositores   e   cantores)   tornaram ‐ se   famosos   com   os   programas   de   auditório   levados   aos   ouvintes   pelas   ondas   do   rádio.   Naquela   época,   não   havendo   televisão,   os    jovens   brasileiros   estavam   sintonizados   diariamente   às   principais   emissoras   de   rádio,   cujos   prefixos   sempre   iniciavam   com   um   PR   (de   prefixo).   A   primeira   rádio   brasileira   foi   a   Rádio   Sociedade   do   Rio   de   Janeiro   (cujo   prefixo   era   PRA ‐ A),   que   entrou   no   ar   em   1923.   O   pioneiro   do   rádio   no   Brasil   foi   Roquette   Pinto.   A   partir   dos   anos   1940   começaram   a   aparecer   outras   emissoras   como   a   Rádio   Mayrink   Veiga   e   a   Rádio   Nacional.   Esta   última   se   tornou   a   mais   popular   de   todas,   principalmente   por   causa   da   programação   musical,   por   conta   dos   famosos   programas   de   auditório   apresentados   por   Ary   Barroso   e   César   de   Alencar ,   entre   outros.   Ary   Barroso,   o   mais   famoso   apresentador   e   radialista   brasileiro,   foi   também   um   grande   pianista   e   compositor   de   sambas   e   canções   inesquecíveis   como   “Aquarela   do   Brasil”   A   Rádio   Nacional ,   entre   outros   programas   famosos,   teve   em   sua   programação   o   lendário   programa   PRK ‐ 30 ,   comandado   por   Lauro   Borges   e   Castro   Barbosa.   Auditório   lotado   na   Rádio   Nacional     Tipo   de   programação   das   rádios   na   época:   A   programação   das   rádios,   como   a   Nacional,   consistia   em   programas   de   música,   rádio ‐ novela,   programas   de   humor,   programas   esportivos,   todos   realizados   ao   vivo   em   seus   auditórios   abertos   ao   público.   Na   programação   musical,   os   cantores   se   apresentavam   acompanhados   de   orquestras   ou   conjuntos   musicais,   muitas   vezes   com   o   auditório   lotado.   A   Rádio   Nacional   foi   responsável   pelo   sucesso   de   inúmeros   artistas,   entre   cantores   e   compositores.  
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x